A Kabbalah é um tratado de Medicina e Psicologia que, se bem compreendido, pode ser aplicado com resultados eficazes e curativos.

Partindo do princípio de que a estrutura orgânica e psíquica do homem é a mesma há 5 ou 7.000 anos, o estudo da kabbalah, continua atual e pertinente, como uma ferramenta para o conhecimento do ser humano.

A verdadeira origem da Árvore da Vida é desconhecida, está enraizada por tradição na Kabbalah, o mais ” secreto ” ensinamento do judaísmo, e quer dizer, dentre outros significados, tradição oral.

O método oral é comum a todas as grandes religiões; e como em todas as instituições humanas, ele está sujeito à decadência e à reformulação nos principais objetivos arcaicos, adaptando-se a tradição à linguagem e aos costumes da época.

No diagrama conhecido como árvore da Vida, o Sephirah ( esfera ) está frequentemente relacionado com as partes do corpo: Thiphereth é o coração ou plexo solar, Chesed é o braço esquerdo, Geburah é o forte braço direito, Yesod são os órgãos genitais, com Netzach e Hod como pernas que se firmam no reino de Malkuth ou os elementos. Binah e Chockmah são algumas vezes colocados em ambos os lados da cabeça , e em outros diagramas, nas palmas das mãos levantadas, com Kether, a Coroa, no alto, sobre a cabeça.

Nosso corpo tem memórias, e desde que o primeiro bípede andou sobre a terra, nossas células, gens, etc., vem carregando e transmitindo há várias gerações, experiências, crenças, temores, traumas, desejos, etc.; porque memória é uma maneira de retermos as pessoas e coisas que amamos, aquilo que fomos, que queremos ser; as coisas que nos magoaram, nos marcaram, foram importantes.

A tentativa aqui, é mostrar mais um caminho que possibilite o conhecimento de si com o outro, como ocorre na massagem. O homem arquetípico ( Adão Kadmon ) e toda a vida arquetípica, a começar pelo homem. Microcosmo, às vezes Macrocosmo, unindo o Céu e a Terra, ele recapitula toda a Criação que é chamado a nomear; o homem contém os três reinos: ele é criado à imagem de Deus.

Cada órgão, estrutura, função ou mecanismo nada mais são que manifestação aparente, em certo plano, de um dos arquétipos vitais fundamentais. Separá – lo de seu arquétipo é impedir – se de compreendê – lo.

Todo homem tem o mesmo desenho básico, mas as variantes devido a sexo, raça, tribo, dieta e temperamento pessoal são enormesb.

O homem ocidental tem a possibilidade de manter hábitos alimentares equilibrados. Seu consumo de alimentos inclui todos os ingredientes vitais à sua saúde física, por causa do conhecimento e da riqueza de sua civilização. Mas, como registra a observação, embora viva mais tempo que a maioria das outras comunidades, não é necessariamente mais saudável. Isto é atribuido à outra qualidade que se relaciona ao plano emocional de sua vida.

O corpo pode ser descrito como um complexo mecanismo auto – regulador, adaptando – se continuamente a um ambiente em eterna e constante mutação, de modo a manter um estado interior consciente de operação bioquímica.

Devido a posturas inadequadas, vícios posturais dos mais diversos e nocivos ao sentar, andar, trabalhar; vamos criando ao longo do tempo, tensões, dores, desconfortos vários e desequilíbrios, idem. Vamos entortando nossa árvore, comprimindo nossos órgãos, respirando erradamente, forçando um músculo aqui, outro ali; e interrompendo o fluxo natural de nossa energia pelo corpo.

Somos a representação micro do macro, e temos todas as condições de nos harmonizarmos com a nossa energia interna e a cósmica, a fim de usufruirmos mais e melhor de uma boa saúde física, mental, psíquica e espiritual.

Através da massagem, é possível desbloquear algumas travas, permitindo que o corpo novamente retome sua portura natural e relaxe.

A massagem é basicamente relação entre pessoas, e usa o toque como veículo, é uma conversa onde se usam as mãos, vários tipos de toque, a respiração, a entrega; no lugar da palavra. Prestando atenção à própria respiração, podemos estar o tempo todo centrados em nós mesmos, e não dispersarmos energia, nem ficarmos cansados – a árvore que somos estará equilibrada.

 

Com base na Monografia Massagem e Kabbalah – dez/94, apresentada na conclusão do Curso de Formação de Instrutores do Curso Massagem e Sensibilidade da A.M.O.R. – Associação de Massagem Oriental

,

MASSAGEM E KABBALAH
Classificado como: