A RESPONSABILIDADE DO TOQUE

terapia-energetica-vibracional-EFT terapeutaMassagem, como toda e qualquer prática, é algo que começamos a aprender, e continuamos por toda a vida, mais seis meses! A cada momento, a cada dia, novas experiências acontecem, novas técnicas e aprimoramentos surgem. É importante estarmos atualizados e em constante reciclagem.

A massagem, por ser uma arte sutil e não unicamente de perícia e técnica, envolve o sentir, o perceber, a atenção, o carinho, o acolhimento, a receptividade, o aconchego, o receber a pessoa tocada. Para que ela ( massagem ) flua coerentemente, é preciso nos movermos pelo sentimento, pelo respeito, pela ética, pelo equilíbrio ( daí a necessidade de o/a terapeuta se reciclar e se trabalhar com afinco),

Através do toque, o corpo relaxa, e nosso corpo traz nossa história de vida: medos, emoções, traumas, sentimentos, apegos, lembranças agradáveis e desagradáveis; portanto tocar alguém significa ter responsabilidade no toque, respeitar o indivíduo tocado, porque ao tocar, não são apenas e simplesmente músculos e tendões que estão sendo tocados, e sim, o ser humano.

Nós somos nosso corpo: nele estão nossos pensamentos, sensações ( primeiro sentido que desenvolvemos ao nascer: tato ), desejos, ansiedades, projetos, frustrações, alegria, prazer, dor, saudade, desprazer, conforto, tensão, relaxamento; e todas as marcas importantes que fizeram e fazem de cada um de nós, quem somos hoje.

Em qualquer técnica de massagem, estaremos tocando todo esse universo imenso que é cada pessoa; daí o cuidado em tocar como se estivesse tocando a si mesmo. Traduzir através do toque o intuito verdadeiro e sincero de aceitar o outro como ele é. E de ajudar a pessoa tocada a liberar suas tensões, desconfortos, mágoas, ou o que mais for possível e permitido ( por quem recebe ) num clima de respeito e confiança.

Dividimos o estudo so ser humano em partes, para facilitar o aprendizado: corpo/mente/psique/espírito; mas somos a soma disso tudo, então pensamos, sentimos, agimos, vibramos e vivemos com o corpo todo, pois ele é a sede e a manifestação de quem somos nós ( nosso lado divino inclusive ).

Como cuidamos dele? Com carinho, respeito, hábitos saudáveis, atenção, amor, ou com menosprezo, repúdio, medo, revolta e raiva? Somos também (e muito mais ) o que pensamos e sentimos, do que o que comemos; e isso se reflete na nossa saúde, na qualidade de nosso sono, disposição, trabalho, relacionamentos, .. porque nos alimentamos com nossos pensamentos!

É importante que, enquanto estamos massageando, que a massagem flua: que estejamos presentes em nossas mãos como se todo nosso ser estivesse nelas. Cada ser humano é único, e cada massagem idem, não permitamos portanto, que seja apenas um toque mecênico no corpo. Mantenhamos a sintonia com a pessoa massageada.

A profundidade ou a suavidade do toque pode ( e vai ) provocar as mais diversas reações em quem recebe, liberando o que for necessário liberar naquele momento, para aquela pessoa se perceber melhor.

Massagear é entrar em sincronia com a energia do corpo ( do/a massageado/a ), perceber onde ela ( energia ) está em excesso e/ou em falta, é sentir onde o corpo está fragmentado e reorganizá-lo novamente. É ajudar a energia do corpo a circular em harmonia com a natureza, sem bloqueios, livre de tensões e travas. Quando isso acontece, as energias estão alinhadas e afinadas como numa orquestra, e o corpo, consequentemente tocará sua música com todas as notas devidamente combinadas.

Sendo assim, tenhamos muito respeito com o corpo humano: ele é o templo a ser cuidado, é nele que habita a centelha divina, por isso com profunda e verdadeira reverência, executemos a arte de massagear. Tendo sempre como referência o amor por si mesmo.